Este blog é dedicado a todas as pessoas que fazem parte da minha vida e que de alguma forma deixam a sua marca.

Acreditei

video

Acreditei

Acreditei
Acreditei que o sol poderia brilhar
Acreditei que o vento se tornaria numa leve brisa
Acreditei no brilho do teu olhar
Acreditei e fiquei indecisa

Acreditei que poderíamos ter uma vida normal
Acreditei quando o calor do teu toque me acalmava
Acreditei que o sentimento era real
Acreditei nisso quando o tom da tua voz mo insinuava

Depois de tanto acreditar...
Depois de tanto lutar...
Depois de tanto chorar...
Depois de tanto te amar...
Deixei de acreditar

Ana Jorge

Foste, Fui, Fomos
Foste o momento que passou
Foste o sorriso que me acalmou
Foste o sopro da minha vida
Foste o suporte da minha vida tremida

Fui alguém que te abraçou
Fui alguém que te amou
Fui o sol a cada dia nas tuas manhãs
Fui a nuvem negra que as tornou vãs

Fomos o respirar de cada suspiro
Fomos o olhar em cada retiro
Fomos a loucura dos loucos
Fomos apaixonados como há poucos...

Ana Jorge
Amor

Amor...
Que sentimento tão complexo,
Amor...
Tão diferente do simples sexo.

O que é o amor?
Não o consigo perceber.
O que é o amor?
Tantas vezes se confunde com o sofrer!

O que é o amor?
Procuro uma resposta.
O que é o amor?
Será assim tão diferente de uma conquista?

O que é o amor?
Que sentimento tão abstracto.
O que é o amor?
Tão difícil encontrar o seu rasto...

Ana Jorge
Sobriedade

Mais uma semana se passou
mais uns momentos de magia,
encaro hoje a realidade do que sou
esperando pela plena alegria...

Espero ansiosa pelo tal dia
em que encararei a realidade.
Espero duvidosa e com rebeldia,
o dia da sobriedade...

Estou turva e distorcida
procurando uma justificação.
Estou impaciente e perdida
esperando pela tua atenção.

Encaro toda a realidade como uma fantasia
Procuro esquecer quem sou eu
Distorço os pensamentos com a melancolia
de quem me encontrou e não me percebeu...

Recorro à máscara do sorriso
Escondendo a mágoa do preconceito
Vou até onde for preciso
para sentir que tudo é perfeito...


Ana Jorge
O nosso caminho
Entraste na minha vida,
E sem me aperceber deixei.
Foste sarando a minha ferida
E abriste outra quando me apaixonei...

Entraste de mansinho
Como se o soalho fosse ruidoso.
Entraste e com o teu carinho,
Traçaste um caminho tumultuoso.

Um caminho arriscado e sinuoso
que nos conduzirá ao nosso destino.
Um caminho às vezes perigoso
Mas que não percorres sozinho.

O nosso caminho é apenas um meio
de alcançarmos finalmente a felicidade...
Um dia essa será plena, é o que anseio.
Caso contrário... ficará a saudade.


Ana Jorge
Caminhos de vidro


Percorro caminhos de vidro
Que quebram à minha passagem
Arrisco tudo quanto aspiro
Enfrento a vida com coragem...

Percorro caminhos instáveis
Que me transformam e motivam
Caminhos tumultuosos e questionáveis
Instigam comportamentos que o justificam

No trilho da minha vida
Deparo-me com sentimentos e emoções contraditórias
Preparo-me para cada possível recaída
Instigo a minha alma a aceitar as vitórias

Cumpro o meu percurso de coração aberto
Recorro a sentimentos e emoções
Na busca do que estará correcto
Ou no que me trará novas e deleitosas sensações

Sem medo de me ferir e cortar...
Continuo a percorrer o caminho de vidro...
Apenas quero poder continuar
A caminhar e arriscar contigo...


Ana Jorge
Recordação


A reminiscência do passado longínquo
Traz à memória o que de mais marcante vivi
A lembrança de um passado inócuo
Marca-me no passado tão presente e distinto que já vi

A recordação dolorosa de despedidas
Sangrou o meu coração
A recordação saudosa das partidas
Reabriu a ferida da época da afirmação

A Recordação de momentos que já não voltam,
O Recordar de sentimentos tumultuosos
Fez-me perceber que ainda me atormentam
E que permanecem bem teimosos


Ana Jorge


Quem sou eu


Quem sou eu na tua vida?
Eu que procuro apenas um sinal.
Quem sou eu nesta corrida,
onde não se vê o final?

Quem sou eu neste mundo?
Estou à espera de me encontrar!
Quem serei no futuro?
Será que de mim te vais lembrar?

Afinal quem sou eu?
Que faço para me destacar?
Será que o meu fascínio morreu,
ou estarei apenas a recuperar?

Quem sou eu no teu coração?
Como gostaria de saber...
Quem sou eu nesta imensidão
que é o pecado e o prazer?

Ana Jorge

Entre o bem e o mal

Entre o bem e o mal


Porque é que tudo o que é bom
tem o seu lado cruel?
Porque é que tudo o que é mau
tem o seu lado de mel?

É uma incoerência desanimadora
que me leva à dúvida e à insegurança
É algo que me atordoa
e me faz perder toda a confiança

Entre o bem e o mal
encontro o cruel e o mel
Entre o bem e o mal
Emaranho-me profundamente no teu fel

Como o mal pode ser tão doce
e o bem tão atroz?
Como queria que tudo fosse
tão aprazível como quando estamos sós

Como é possível que de um momento bom
consiga encontrar tanta mágoa e contrariedade?
Não seria tão mais simples poder ter o dom
de aproveitar o momento sem pensar na realidade?

Outubro 2009
Por Vezes


Por vezes pergunto-me por onde andas,
interrogo-me porque desapareces
Por vezes entendo o modo como emanas
Não entendo é porque me esqueces...

Por vezes gostaria de aqui te ter
Por vezes queria aqui te sentir
Por vezes gostaria de te puder ver
para mais uma vez me fazeres sorrir

Por vezes esqueço quem és
Por vezes esqueço quem sou
Por vezes caio a teus pés
pois a paixão por ti brotou

Por vezes o sempre é efémero
acaba quando menos se espera
por vezes é mais eterno
ou apenas uma simples quimera

Por vezes...
Apenas por vezes...
Gostaria de sentir
Que o meu mundo gira com o teu
para até à lua pudermos subir
E o teu coração ser meu...

Ana Jorge
Adoro-te



Adoro-te pelo que és
Adoro-te pelo que me fazes ser
Adoro-te porque na felicidade crês
e me fazes querer acordar a cada amanhecer

Adoro-te quando sorris
Adoro-te quando me olhas
Adoro-te quando o teu olhar me diz
que também me adoras

Adoro-te a cada instante
Adoro-te a cada dia
Adoro-te como um diamante
Que me ilumina e dá alegria

Adoro-te porque te adoro
Não sei explicar o porquê,
Adoro-te porque por ti choro
Quando o teu olhar não se vê

Adoro-te porque és assim
Adoro-te porque me fazes bem
Adoro-te simplesmente porque sim
Adoro-te e quero-te para mim também

Adoro-te pela tua loucura
Adoro-te pela tua frescura
No fundo, adoro-te porque me fazes feliz!



Ana Jorge
Amigos

Amigos...
São parte da minha vida
Amigos...
Tornam a vida mais colorida

Amigos...
Muitas vezes longe
Mas sempre no coração
Basta um chamamento hoje
Amanhã já cá estão

Aos meus amigos agradeço
cada segundo comigo passado
Uma certeza é que não me esqueço
de nenhum momento vivenciado

Obrigada pela vossa amizade
Obrigada pelo vosso carinho
Sem vocês minha vida era uma enfermidade
Convosco consigo seguir o meu caminho

Aos meus amigos de sempre, para sempre...
Aos meus amigos de hoje e de amanhã...
Adoro-vos a todos



Obrigada por tornarem a minha vida mais colorida


Ana Jorge
Na escuridão



Na escuridão do pecado
Instalo o meu ser
Pronto para ser julgado,
Disposto a perecer!

Na escuridão do pensamento
Vagueio atormentada,
Caminho para a esse julgamento
Já estou condenada!

Na escuridão do lugar,
Desejo a salvação
No constante deambular,
Na busca da compreensão!

Na escuridão da alma
Defronto suplícios sombrios
Que me acompanham na calma
E me exaltam arrepios!

Na escuridão do teu ser,
Procuro alguma luz,
Algo que me possa esclarecer,
O que em ti me seduz!

Na escuridão do teu olhar,
Não vejo qualquer salvação,
Apenas vejo o teu pesar
Pela tua condição!

Na escuridão deparo-me também,
Com a solução para o conflito.
Adopto o caminho do bem,
Profetizo isso num grito!

Ana Jorge
Saudade


Saudade…
Que palavra tão portuguesa
Saudade…
Quase se confunde com tristeza

Saudade é a nostalgia
É a falta de algo que passou
É o pesar da alegria
e a dor de quem amou

Saudade…
Que palavra tão bela.
Saudade…
Quem me dera não senti-la.

Saudade…
É a mágoa de quem fica,
o desespero de quem parte
é um sentimento que não se explica
mas que se sente e se combate

Saudade é o que sinto
quando me recordo dos demais
saudade é quando pressinto
que o passado não volta mais

Saudade… é o que sinto por ti
Saudade… é o que sinto agora
quando estás distante fico na escuridão
quando estás comigo nasce a aurora

Saudade… que sentimento tão nobre
Tristeza… que sentimento tão pobre
No fundo são a mesma coisa
Mas saudade tem a sua beleza…

Ana Jorge
Mais ou menos...


Ser Feliz



Um dia alguém me disse
que para ser feliz bastava acreditar
esqueceu-se foi de me dizer
que para isso também é preciso lutar

Ser feliz é uma arte
é algo que se procura constantemente
Ser feliz é poder amar-te
E contigo estar eternamente

Ser feliz...
ser feliz é algo que não se explica
não é para um aprendiz
mas para quem constantemente se aplica

Quem se aplica na busca da felicidade
Um dia a encontrará
Quem desiste com facilidade
Jamais feliz será

É uma busca constante
Algo que não tem fim
A felicidade é desconcertante
Pois nunca a encontramos assim

Ser feliz...
É dar valor a cada sorriso teu
Ser feliz...
É eu ser a Julieta e tu o Romeu

A felicidade não é eterna
Ela é efémera e volátil
Podemos vivê-la como um urso que hiberna
Ou aproveitá-la enquanto é versátil

É na busca da felicidade
Que vivo a minha vida
Cada momento contigo é uma imensidade
De um sentimento que me deixa estremecida

Para eu ser feliz é tão elementar...
Basta deixar a razão de parte
Nunca deixar o coração me abandonar
E conseguir por ti lutar...

Ana Jorge
O Olhar

É através do olhar
que vejo o mundo
é através do olhar
que te vejo lá no fundo

O olhar que mata
o olhar que sorri
o olhar que maltrata
e te vê a ti

É através do olhar
que mostro os meus sentimentos
É através do olhar
que faço os meus juramentos

É o espelho da alma
é o tormento do pecador
é nele que se espelha a calma
e a angústia de um amor

O olhar...
Que coisa tão banal
Um olhar...
Pode ser tão especial

Quando olhares nos meus olhos
verás tudo o que quero dizer
Quando olhares nos meus olhos
Saberás o que fazer...

É no teu olhar que me prendo
É no meu olhar que me encontro

Ana Jorge
Do outro lado...

Do outro lado
está alguém que adoro
Do outro lado
está por quem eu choro

São distâncias incontornáveis
são barreiras que não quebram
são laços inseparáveis
que não sabem onde nos levam

Do outro lado estás tu
sentado a sorrir para mim
como se fosses tabu
e a deitar pó de perlim-pim-pim

Do outro lado... deixas-me de rastos
com uma saudade imensa
de sentir os teus abraços
de uma forma tão intensa

Do outro lado...
procuro no teu olhar
tão lindo e cansado
algo que me possa afagar

Do outro lado...
estás tu com ar de malandro
com um sorriso acanhado
e um perfil tão brando

Do outro lado está alguém
que me aquece o coração
que me faz rir como ninguém
e que me faz chorar de paixão

Sim, do outro lado está alguém...
Aquele que me faz sorrir, sonhar...
Aquele que me quer bem
Mas que não se quer aproximar...

Ana Jorge
Sons Nocturnos

Da minha janela
Escuto os sons da noite
vejo como ela é bela
e me torna tão forte

Os sons nocturnos
que me relaxam
sons tão soturnos
mas que me acalmam

Os sons da noite
transportam a minha alma
como a água que corre na fonte
translúcida e calma

No silêncio encontro a paz,
silêncio que me ensurdece
e que me apraz
com os sons que me oferece

Da minha janela
Sinto a brisa do vento
Tocar no meu rosto
como algo que me atropela

A leve brisa
que entra janela dentro
corre e desliza
como um forte vento

É nos sons nocturnos que encontro
a paz para reflectir
que me fecho em pensamentos
e me deixo ir...

Transporto-me para outra dimensão
uma dimensão longe de tudo e todos
para um lugar onde não há paixão
nem sofrimentos tolos

É da minha pequena janela
que oiço o silêncio que me ensurdece
e que me faz sonhar com cautela
e esquecer quem me esquece

Ana Jorge
Queria...



Queria ir para bem longe
para um local onde me pudesse encontrar
Queria fazer como um velho monge
isolar-me do mundo para orar

Queria conhecer novos mundos
abrir os meus horizontes
puder falar de vários assuntos
conhecer todas as fontes

Queria tornar-me uma pessoa melhor
aprender a viver com o que tenho
ser como um pequeno beija-flor
ser como um bonito desenho

Um desenho onde a fantasia tem lugar
onde a ilusão está presente
viver fora de mim sem me abandonar
e onde nenhuma mágoa se ressente

Queria viver outras vidas
deixar de ser quem sou
deixar para trás vidas sofridas
esquecer o que me assombrou

Queria ser perfeita
mas isso não posso ser
queria contar ao mundo o que me atormenta
mas isso não consigo fazer

Queria tanta coisa
coisas que não posso ter
Queria ter tanta força
para um dia puder viver

Queria ser alucinada
puder viajar sem sair de mim
Deitar a cabeça na almofada
e viajar assim

Queria tanto não pensar
ser imune ao pensamento
Queria tanto acreditar
que a vida tem o seu alento

Queria no fundo
viver sem receios
criar o meu próprio mundo
viver com os meus próprios meios

Ana Jorge
Entre o coração e a razão


Entre a razão e o coração

meu pensamento vagueia
entre pedaços de paixão
estou a tecer a minha teia

A razão me diz
que terei de repensar
tudo aquilo que fiz
e se quero continuar

O coração me diz
aproveita o momento
aproveita para seres feliz
e dá valor a cada acontecimento

Entre o coração e a razão
vou vivendo o dia-a-dia
cada sentimento é um turbilhão
que se transforma em melodia

Qual deles estará certo?
Coração ou razão?
Qualquer um é incerto
Tenho de viver na alienação


Ana Jorge
Tu...
Tu... que apareceste inesperadamente...
que conheci de forma estranha
e que me envolvi apaixonadamente

Tu... que me devolveste o sorriso
que me levas às lágrimas
e que me fazes perder todo o juízo

Tu... que me levas à loucura
que me prendes na saudade
que me preenches de verdade
e quase me levas à ruptura

Tu... que me fazes bem
e ao mesmo tempo me corróis
pois ora me tratas com paixão ora com desdém

Tu... que me levas à fantasia
que transformas o meu ser
que me transmites toda a alegria
que alguém poderia ter

Tu... que no meio da ambiguidade
me deixas na incerteza
se gostarás de mim de verdade

Tu... apenas tu...
só tu... me fazes rir, chorar, amar...
só tu me fazes querer viver e continuar....


Ana Jorge





Indecisão

Não sei que fazer

estou nesta indecisão
não sei se te devia ver
mas tenho essa tentação

Estou num impasse
num caminho paralelo
queria que tudo acabasse
mas não consigo fazê-lo

Indecisão que me atormenta
que me deixa sem dormir
com o tempo só aumenta
em vez de diminuir

Ana Jorge
Viajante




Estás distante
andas por essas estradas
longínquas
como um viajante

o tempo tem passado
nossos olhares deixaram de se cruzar
este tempo tenho desejado
não mais te encontrar

à noite observo o luar
na esperança de desse lado
quando em mim pensares
estares também a olhar

da minha janela vejo as estrelas,
as mesmas que te iluminam
e guiam por essas estradas
e que tanto me fascinam

sofro com a tua distância
anseio o teu regresso
falo-te com arrogância
pois queria odiar-te, confesso!

Infelizmente isso não acontece
cada vez mais te quero sentir
esta situação só me entristece
em vez de me fazer sorrir

como gostaria de voltar atrás
como queria que tudo fosse diferente
não fazer tudo o que me apraz
nem algo que me atormente

Ana Jorge
Pequeno Mundo



No meu pequeno mundo
existe espaço ao sentimento
é um viver profundo
que me remete ao sofrimento

No meu pequeno mundo
cruzo-me contigo
cruzando olhares num segundo
tudo fica esquecido

No meu pequeno mundo
abraço o acaso
perco-me no teu rumo
encontro-me no teu abraço

No meu pequeno mundo
tudo fica tão perfeito
quando o teu sorriso vagabundo
acerta no meu coração com preceito

Neste meu mundo de aventura
encontrei o meu caminho
bem perto da loucura
junto do teu ninho
Ana Jorge
Momentos


Há momentos na vida
que nos levam ao céu
há momentos inesquecíveis
em que nos erguem um troféu

Momentos ao sabor do vento
ao bater das ondas
tudo se envolve no sentimento
das vivências mais profundas

O som que nos envolve em calmaria
o sentir do desejo que nos percorre
a areia desabrocha a fantasia
enquanto toda a dúvida morre

São momentos como esses
que nos deixam rendidos
não nos bastarão as preces
ficaremos mesmo assim perdidos

perdidos no olhar
perdidos no sentir
perdidos no fantasiar
tentaremos prosseguir

o suor pelo rosto
o calor do momento
afastam o desgosto
e atraem o encantamento

o encantamento de um sorriso
que nos faz perder o rumo
o tempo pára no paraíso
que construímos a prumo

contigo o meu mundo é especial

Ana Jorge
No meio da Loucura...




No meio da loucura descobri
Que sou mais sã que julguei
Tudo o que fiz foi por ti
O que aconteceu foi por alguém

No meio da loucura
encontrei o bem estar
que há muito andava à procura
e não conseguia encontrar

Fizeste-me sorrir
Fizeste-me viver
Fizeste-me sentir
Que nada devo temer

Por ti faço loucuras
Contigo faço o que nunca fiz
Mas no meio de todas as torturas
Tudo o que importa é que me sinto feliz

Ana Jorge
Pedaços de mim


Desfeita em pedaços
Minha alma recupera
desaperto todos os laços
acordo desta quimera

que emaranhado de emoções
que sensações nunca vividas
são sentimentos aos turbilhões
são qualidades perdidas

perdi-me na tentação
acordei da fantasia
pedi a tua atenção
feri a minha alegria

em pedaços de mim
minha vida se encaixa
tão partida assim
não sou feita de borracha

será que está certo?
poderei fazer tudo isto?
sei que não é correcto
mas não resisto...


Ana Jorge

Prazer


Eu queria falar de prazer
Eu queria dizer o que significa
Mas não consigo descrever
Pois nestas linhas não o glorifica

Prazer
É o gosto e o desejo
É a alegria e o contentamento
É algo que almejo
É algo de que me alimento

O prazer alimenta sentimentos
Dá força para viver
O prazer está em todos os acontecimentos
É tão forte que dá para enlouquecer

O prazer está nas pequenas coisas da vida
Está em cada suspiro, em cada sorriso
E por vezes prega-nos a partida
De nos fazer perder o juízo

Viver com prazer
É viver Feliz
Viver cada momento
É algo que devemos fazer...


Ana Jorge



Imagens do Meu dia


Acordo para a minha jornada
vivendo intensamente cada segundo
Levanto-me pela alvorada
Acordo para o mundo

No dia-a-dia da minha vida
percorro caminhos remotos
Vou sarando a minha ferida
Vou escrevendo os meus contos

As imagens do meu dia
marcam toda a minha mente
percorri estradas de lã macia
no asfalto ardente

O cheiro da terra molhada
a chuva a cair na minha face
o suor escorrendo pela pele corada
não foi algo que planeasse

Passei por entre ruínas
casas devolutas e vazias
Vi o que nem imaginas,
Vi tristezas e alegrias

No campo verdejante
apreciei laranjeiras em flor,
Percebi como é brilhante
A luz irradiada pelo alvor

Termino o meu dia cansada, mas feliz!
Satisfeita por chegar ao fim,
Pois a mim ninguém me diz
que o amanhã será assim...



13-04-2009

Sensatez Insensata



Vivo nesta ambiguidade...
...sensatez insensata....
Vivo nesta ansiedade...
Inconstância que me mata...

Quente e frio, Sol e Chuva
Assim sou eu todo o dia
De manhã sou turva
De noite sou fugidia

Vivo nesta inconstância constante
Neste desespero desesperante
Nesta vida que é morte
Nesta luta pela sorte

Que mente turva a minha
Que pensamentos me atormentam
Sou mais que uma rainha
Sou o que os sonhos fomentam

Viajo na minha mente
Divago com a lua
Sonho constantemente
Com a vida que é tua

Aproximo-me da escuridão
Afasto-me da luz
Vivo nesta condição
Caminhando para a cruz

E no meio da sensatez insensata
Sigo o meu instinto
Vejo algo que me arrebata
E de negro minha vida pinto


08-04-2009
Num lugar só meu




É bonito o desfile da vida
Que calmante é a natureza
Que estimulante esta corrida
No meio desta fortaleza

O cantar dos pássaros
Glorifica a minha existência
O sussurrar do vento
Justifica a minha ausência

Na minha caminhada passo pelo canavial
Está agitado como eu
Neste dia trivial

Ao fundo a chaminé a fumegar
O campo de primavera florido
O cão da vizinha a ladrar
É música para o meu ouvido

A calma está instalada
É bom para reflectir
Já estou cansada
Quero continuar a sorrir

As nuvens aos farrapos
No azul celestial do céu
Parecem bonecos de trapos
Num lugar que é só meu

Minha mente... meu pensamento... meu escape... minha vida...


08-04-2009

Desejo bem envelhecer


Desejo ouvir o chirriar de um pássaro
Desejo o sol pela manhã
Desejo a música de um compasso
Não desejo uma vida vã

Quero viver
Quero sorrir
Quero bem envelhecer
Ao topo da vida desejo subir

Sou pessoa
Sou Humano
Sou Idoso
Mas não sou insano

Posso ser velho
Mas não sou inábil
Vejo-me ao espelho
E ainda sou saudável

Por isso DESEJO...
Desejo ser respeitado...
Desejo Ser Amado...
Desejo BEM ENVELHECER!!!

Ana Jorge
Vagabunda do mundo



Estou sozinha...
Sem eira nem beira...
Estou perdida...
Mas não é porque queira!

O dia insiste em dar lugar à noite,
Porquê, Porquê??
Esta malvada sorte???
Será que ninguém me vê?

Está escuro...
E eu nestas trevas,
Abandonada pelo mundo,
Num barco sem velas.

Será que sou invisível?
O mundo não pára!!!
Serei assim tão imperceptível,
Que em mim ninguém repara?

Está tudo ao rubro,
Ninguém olha para ninguém,
Nem eu já me descubro,
Já nem sei se sou alguém!

Vagabunda do mundo,
Divago nesta tenebrosidade,
Sem ninguém, sem futuro,
Sem qualquer vivacidade.

O tempo escasseia,
As forças falham...
Enrolada nesta teia,
Os sonhos acabam...

Junto deles irei eu...
Sim... eu...
Mas porquê eu?

Que vida esta que tive?
Que final terei...
Nem a minha alma vive,
Pois eu acabei...



Ana Jorge
O meu desejo
Porque é que estás longe de mim?
Esta distância só me faz chorar!
Porque tem de ser assim?
Porque não podes ficar?

Ai como custa...
Quando não ficamos juntos!
Esta vida não é justa
E os meus desejos são muitos.

Porque temos de esperar?
É demais para quem ama.
Ter de à noite te abandonar
E solitária ficar na cama.

É triste e desesperante,
Dormir sozinha nestas noites.
Tu serias o meu calmante
Para estas insónias tão fortes!

Só em ti consigo pensar,
Só contigo quero viver.
A minha vida a ti irei dedicar
Para nunca te fazer sofrer.

Juntos bem velhinhos,
Deitados na nossa cama.
Sozinhos bem juntinhos
É só para quem ama.

Este é o meu desejo,
Viver toda a vida por ti
Morrer num ainda apaixonado beijo,
Ser feliz até ao nosso fim.

Nem um segundo sem ti vou viver
Quando fores também vou,
Pois sem ti passarei a sofrer
E a vontade de viver acabou.

Quero ser tua eternamente,
Serás meu a vida toda.
Amar-te-ei incessantemente.
Até que um dia morra.


Ana Jorge
És a minha jóia
Só tu me dás segurança
Para viver a vida
Só tu me dás confiança
Para vencer esta partida

Contigo rio
Contigo choro
Contigo não sinto frio
Só a ti te adoro

Tu ajudaste-me a lutar
Tu ajudaste-me a vencer
A mim resta-me te amar
Para nunca te perder

És a minha jóia
O meu bem mais precioso
És a minha bóia
O ser mais carinhoso.


Ana Jorge
Conteúdo vazio

Não tenho inspiração
Não sei o que escrever
Não tenho bem a noção
Do que quero esconder

Estou com uma branca
Não consigo pensar
Apenas estou a ser franca
Estou para aqui a inventar

Não tenho tema
Não sei que falar
Vale mais ir ao cinema
Que aqui vou-me fartar

Não tenho nenhum jeito
Para escrever estes poemas
Mas ninguém é perfeito
Todos temos problemas

Quero escrever e não dá
Falta-me imaginação
Meu cérebro parado está
Assim como o meu coração

Queria falar de ti
Mas as palavras não saem
Queria falar de quando te conheci
Mas esses momentos aqui não cabem

Sem saber o que dizer
Sem me conseguir exprimir
Não sei como fazer
Para deixar a imaginação fluir

Escrevo num buraco escuro
Onde a tinta preta se dissolve
E estas palavras misturo
Para ver se algo se resolve

Acabo por escrever o nada
Um conteúdo vazio
Sinto-me cansada
E a minha imaginação está por um fio


Ana Jorge
Porquê esta Guerra?



Porquê esta guerra?
Porquê esta destruição?
Que se passa nesta terra?
Ninguém tem coração?!

Os mortos e os feridos
As crianças abandonadas
Todos os alvos são abatidos
E bombas a inocentes são atiradas

No meio de tudo,
Mulheres e crianças sofrem.
Será que neste mundo
Apenas os inocentes morrem?

A paz só será possível
No dia que houver amor.
Amar os outros parece incrível
Mas tem muito valor

Pensar nos seres humanos
Que sofrem a injustiça
Mais parece o tempo dos romanos
E o tempo da conquista

Voltamos atrás no tempo,
Ao tempo das barbaridades
Cada dia há um aumento
Da destruição e das atrocidades

Não podemos ficar calados
Enquanto inocentes morrem
Não podemos ficar descansados
Enquanto outros sofrem

Pela paz temos de lutar,
Pelo amor temos de viver
Com todas as forças vamos amar
Para esta guerra perecer


Ana Jorge
O Futuro está perto
O primeiro passo está dado
O seguinte logo virá
Agora tens de estar virado
Para o que se seguirá

O futuro está perto
Trabalha em sua função
Podes estar certo
É só seguires o teu coração

Tens de lutar
Para chegares à meta
Tens de continuar
De uma forma correcta

Vais vencer
Tenho a certeza
Só tens de te mexer
E mostrar a tua destreza


Ana Jorge
Contigo Dormir
Quem me dera
Contigo dormir
Quem me dera
À noite te sentir

Sentir o teu calor
Dar-te todos os carinhos,
Mostrar o meu valor
Aqui os dois sozinhos

Nesta cama fria
Durmo abandonada
Nesta cama vazia
Sonho contigo acordada

Sonho que estás aqui deitado
Abraçado ao teu amor
Sonho que estás a meu lado
Aquecendo-me com todo o teu fulgor


Ana Jorge
Novo dia

Tanto tempo esperei por ti!
Porque chegaste tão tarde?
Este tempo todo sofri
Para ser feliz e amar-te

Agora sorrio intensamente
Minha vida tem um novo dia
Só contigo quero partilhar alegremente
Uma vida de alegria

Fizeste-me ver o sol,
Contigo toquei na lua
Enrolada num lençol
Junto a ti toda nua

Teu corpo é de prata
Tua mente de ouro
O teu olhar me encanta
Tua boca é o meu bebedouro

Vem matar a minha sede
Nos teu lábios quero beber
É a água doce da tua boca
Que me faz viver


Ana Jorge
O Paraíso Perfeito



Quero encontrar um lugar
Que possa esperar um novo dia
Quero encontrar um lugar
De pura magia

Voar bem longe daqui
Sem saber, apenas voar...
Em busca dos sonhos
Em qualquer lugar

Vou encontrar um novo rumo
Bem perto do céu
Beber o teu sumo
Destapar o teu véu

Encontrar o paraíso perfeito
Sem sonhos, só realidade
Tudo direito
Longe da austeridade


Ana Jorge
Por ti vou viver
Um dia sem ti
Não sei viver
Um dia sem ti
Já me faz sofrer

Tu eras o meu sonho,
Tu eras a minha fantasia
Agora do meu coração és dono
E à minha alma dás alegria

Agora, aqui...
Enquanto o meu coração bater
Vai ser por ti
Que vou viver


Ana Jorge
Procura a tua sorte

Procura a tua sorte
Vai em busca do que queres
Sabes que és forte
E assim é só venceres

Faz o que gostas
Não te percas pelo caminho
Nem que seja de costas
Vai à luta mesmo sozinho

Desistir não faz parte
Lutar sempre em frente
Se desistires és de Marte
Ou então não estás consciente

Tudo vai dar certo
Acredita em mim
Estás muito perto
De chegares ao fim


Ana Jorge
Tenho medo...

Sinto-me apavorada
O teu passado mete-me medo
Sinto-me cansada
De sofrer em segredo

Tenho medo que voltes atrás
Tenho medo de te perder
Só penso em coisas más
o que me faz sofrer

Foi tudo tão rápido,
O teu passado ainda está presente
Foi tudo tão mágico
E o lugar dela ainda está quente

Tenho medo do reencontro
Despertar de sentimentos
Palavras e conversas
Lembrança dos vossos momentos.


27-01-2003
Só tu...

Agora que és meu
Não te quero perder
A tristeza se perdeu
Na alegria passei a viver

As lágrimas secaram
Meu rosto alegre está
As tristezas me largaram
E o amor veio até cá

Só tu...
Só tu me fazes sorrir.
Só tu...
Só tu me fazes em frente seguir.

Tive a sorte de te encontrar
Tive a sorte de te conhecer
Tive a sorte de te amar
Para feliz poder viver

Estou diferente
Minha vida mudou
Estou contente
Muita coisa se passou


24-01-2003
Descobri o Amor

Que aconteceu?
Como é possível?
Não sei como apareceu
Este sentimento incrível

Sei que veio e já não foi
Sinto-o no coração
Veio para ficar
E não ser recordação

É forte como o vento
Verdadeiro como o sol
Que aquece aquele momento
Que seca um lençol

É um sentimento real
Convivo com ele em mim
Não é tão normal
pois nunca senti assim

Que sentimento este?
O que será?
É forte e sincero
E nunca desaparecerá

É o amor...
Descobri o amor...

Estou feliz!
Encontrei o fugitivo
Tem fugido de mim
Tem andado perdido

Finalmente esta sensação...
Não a vou deixar escapar,
Vou fechá-la no coração
Para poder amar, amar...


26-11-2002
Desejo

Desejo sentir-te
Desejo a tua boca
Desejo-te a meu lado
Perfume que me põe louca

Desejo o teu olhar
Teu sorriso
Desejo o teu calor
Sentir o teu amor

Desejo o impossível
Sonho com a fantasia
Desejo o irreal
Mundo de Magia

Desejo correr
Soltar-me do mundo
Desejo olhar em volta
Viver lá no fundo

Tão simples o desejo...
Apenas sentir o teu beijo...


23-08-02
Cigana



Vivo o sonho da vida
Vivo o pesadelo da morte
Sonho com a sorte
Na na sina já lida

Cigana da noite
Lê o meu futuro
Qual a minha sorte
Qual o meu destino

Cigana da manhã
Lê a minha mão
Descobre a minha paixão
Dá-me a felicidade

Cigana do amor
Deita as tuas cartas
Dá-me o meu destino
Diz-me a sua cor

Cigana do norte
Mostra-me uma luz
Para lá daquele forte
Longe desta cruz


23-08-2002
Aqui Sozinha



Aqui sozinha estou,
Nesta noite de luar
Vou pensando quem sou
E quem quero amar

Na escuridão do infinito
Cruzo o meu olhar
No pensamento perdido
Em busca de quem amar

Na luz das estrelas
Procuro a tal paz
Coisas simples e belas
Que a noite trás

13-08-02
A brisa do teu olhar

Não consigo explicar
A razão de tanto te amar
Não consigo esquecer
O medo de te perder

Estás perto do mar
Longe do amor
Horas intermináveis
Sem ti e o teu sabor

Semanas passadas
Saudades crescem
Sonhos perdidos
Comigo mexem

A brisa do teu olhar
Deixou de me tocar
A saudade chegou
E aqui ficou


24-08-2002
Sofrer no coração

Mais uma vez
Caí na tentação
de voltar a amar
E sofrer no coração

Toca lá no fundo
Esta ausência
No lugar mais profundo
No meu mundo, minha vivência

Minha vida, meu tormento
Noites claras
Passam num momento
Em vidas raras

Ser sensível
Ser confuso
O amor possível
E que eu recuso

Choro a tua ausência
Vivo a tua presença


28-07-2002
Aqui

Aqui sozinha,
Oiço o bater das ondas
Falésias perdidas
Voar de pombas.

Aqui deitada
Oiço o som do mar
Sonhos perdidos
Na sombra do luar

Aqui num sonho
Oiço a fantasia
Vidas perdidas
Como por magia

Aqui ao lado sons estonteantes
Pássaros voam
Vidas marcantes


20-08-2002